Violencia

Violencia

?Aviolência nas comunidades e nas ruas possui um aspecto tipicamente urbano e seus atores fundamentais são a polícia e os jovens. Caracterizada como agressões realizadas contra crianças, adolescentes e jovens em logradouros públicos (ruas, comunidades populares, condomínios etc.), esse tipo de violência ocorre, em particular, nas periferias dos grandes centros e tem atualmente como um de seusprincipais motivadores a organização de grupos criminosos armados com domínio de território.1 Os grupos mais visíveis são os vinculados ao tráfico de entorpecentes, mas também os grupos paramilitares estão ampliando suas bases territoriais. Os grupos estão dominando, de forma progressiva, atividades “legais” como venda de gás, transporte alternativo, segurança privada etc. O fato demonstra que nadinâmica da violência comunitária as políticas públicas inadequadas, em particular no campo da segurança urbana, aliada à desigualdade social e ao consumismo podem ser mais determinantes que a pobreza econômica. Nos últimos anos, a violência comunitária contra crianças, adolescentes e jovens tem aumentado de forma progressiva em todo o mundo. Manifesta em particular como violência letal, seus maioresfocos estão nos países da América Latina e do Leste Europeu que fizeram a transição para a economia de mercado e, entre os países ricos, os Estados Unidos. O crescimento da desigualdade social e de posições políticas xenofóbicas e racistas são elementos que têm contribuído para esse processo de recrudescimento da violência. Até quando? As crianças, os adolescentes e os jovens são as principaisvítimas da violência comunitária, fenômeno que adquire um impacto cada vez mais dramático, em especial nos grandes centros urbanos Por Jailson de Souza e Silva, coordenador-geral do Observatório de Favelas do Rio de Janeiro Desenho de Leandro, de 11 anos, que reproduz cena de violência. A ilustração é proveniente do Concurso de Desenho Infantil “Crescer Sem Palmada”, realizado em
É inegável quevivemos dias difíceis, a violência em toda sua plenitude tem envolvido grande parte da sociedade mundial. No Brasil, a violência tem feito milhares de vítimas, em alguns casos esse ato é praticado pela própria família, além de inúmeros outros ocorridos nas ruas.
Ao observarmos o quadro atual da violência urbana, muitas vezes não nos atentamos para os fatores que conduziram a tal situação, no entanto,podemos exemplificar o crescimento urbano desordenado. Em razão do acelerado processo de êxodo rural, as grandes cidades brasileiras absorveram um número de pessoas elevado, que não foi acompanhado pela infraestrutura urbana (emprego, moradia, saúde, educação, qualificação, entre outros); fato que desencadeou uma série de problemas sociais graves.
A violência urbana tem ocasionado a morte demilhares de jovens no Brasil, é o principal fator de mortandade dessa faixa etária.
A criminalidade não é um “privilégio” exclusivo dos grandes centros urbanos do país, entretanto o seu crescimento é largamente maior do que em cidades menores. É nas grandes cidades brasileiras que se concentram os principais problemas sociais, como desemprego, desprovimento de serviços públicos assistenciais (postosde saúde, hospitais, escolas etc.), além da ineficiência da segurança pública. Tais problemas são determinantes para o estabelecimento e proliferação da marginalidade e, consequentemente, da criminalidade que vem acompanhada pela violência.
Os bairros marginalizados das principais cidades brasileiras respondem por aproximadamente 35% da população nacional, nesses locais pelo menos a metade dasmortes são provocadas por causas violentas, como agressões e homicídios. Isso é explicado quando nos deparamos com dados de São Paulo e do Rio de Janeiro, onde 21% de todas as mortes são provenientes de atos violentos.
Essa situação retrata a ineficiência do Estado, que não tem disponibilizado um serviço de segurança pública eficaz à sua população. Enquanto o poder do Estado não se impõe, o…