Trabalho de fai

Trabalho de fai

?
Instituto Nacional de Telecomunicações
(Itel)
Trabalho de: FAI
Tema: A violência Domestica
Índice
Introdução
Breve/Curta Indroduçã0
Desenvolvimento
Conceito de violência doméstica
Tipos de violência doméstica
Perfil do agressor e da vítima
Mitos
A aplicação da lei
Conclusão

Nome: Ednilson Josué Craveiro Quiúma
Classe: 10ª
Turma: A1
Sala: 14
Nº: 15

Introdução

O temaque vou tratar neste trabalho é a Violência Doméstica.
É um fenómeno cada vez mais comum nas nossas sociedades.
A violência doméstica não atinge só a mulheres, atinge também crianças, pessoas idosas, deficientes, dependentes, e não parte só do marido/companheiro. As mulheres assumem, por vezes, o papel de agressoras.
Apesar de fazer referências a esta vertente, não dou principal destaque àviolência doméstica no feminino, mas em alguns casos restringindo-me apenas à mulher adulta.
Começo por dar uma definição do que é a violência doméstica, suas causas, os tipos de violência, o perfil do agressor e da vítima, bem como alguns mitos acerca desta temática.
A violência domestica no geral pode assumir diversas formas que não uma agressão sociopática de natureza sexual e perversa no sentidopsicanalítico do termo, até formas mais sutis como assédio sexual, discriminação, desvalorização do trabalho doméstico de cuidados com a prole e maternidade.

Desenvolvimento

1.1 Conceito de violência doméstica
A violência doméstica é um fenómeno que tem assumido, por todo o mundo,
proporções bastante elevadas e que só foi denunciado a partir dos anos 60/70 pelos movimentosfeministas.
Considera-se violência doméstica “qualquer acto, conduta ou omissão que sirva para infligir, reiteradamente e com intensidade, sofrimentos físicos, sexuais, mentais ou económicos, de modo direto ou indireto (por meio de ameaças, enganos, coação ou qualquer outro meio) a qualquer pessoa que habite no mesmo agregado doméstico privado (pessoas – crianças, jovens, mulheres adultas, homens adultos ouidosos – a viver em alojamento comum) ou que, não habitando no mesmo agregado doméstico privado que o agente da violência, seja cônjuge ou companheiro marital ou ex-cônjuge ou ex-companheiro marital”. É um fenómeno bastante complexo e composto por diversos factores, sejam eles, “sociais, culturais, psicológicos, ideológicos, económicos, etc.” Ao contrário daquilo que se possa pensar, este flagelosocial é já de longa data. Esta prática atravessa os tempos e tem características similares em países cultural e geograficamente distintos e, com diferentes graus de desenvolvimento .
Assim, considera-se um fenómeno antigo, mas só recentemente se tornou um problema social. Isto, porque há actualmente uma maior sensibilidade e intolerância social face à violência. Depois, também porque algumasorganizações não governamentais, como a OMA – Organização da Mulher Angolana, intervieram no sentido de conferir maior visibilidade ao problema a comunicação social também tem centrado a sua atenção nesta divulgação.
Infelizmente, a violência doméstica faz parte da experiência de muitos lares.
Através da realização de inquéritos Internacionais à violência contra as mulheres feito em países comoPortugal, Brasil e etc, chegaram à conclusão que é a casa “o espaço privilegiado da violência contra as mulheres e a violência ser transversal a todas as classes sociais, diferenciando-se contudo quando analisada segundo as suas formas/tipos de manifestação”
Ou seja, a violência doméstica não atinge só os lares de estratos mais baixos
Segundo alguns estudos, também médicos, políticos, ou outros deposição social elevada, cometem este tipo de crimes. Outros estudos mostram ainda que “a violência é o resultado da existência de uma ordem hierárquica, ou seja, trata-se de alguém que julga que os outros não são tão importantes como ele próprio e que esta é uma atitude que abre a porta à violência nas relações”
São considerados factores contribuintes para a violência: o “isolamento (geográfico,…